Topo
Câmara Municipal de Quixadá-CE - Poder Legislativo
Câmara Municipal de Quixadá AO VIVO

Câmara Municipal de Quixadá AO VIVO

Publicado por Câmara Municipal de Quixadá

Notícias

Combate ao coronavírus volta a ser tema de debate em sessão na Câmara



Na manhã desta quarta-feira, dia 17 de junho, os vereadores de Quixadá debateram as questões relacionadas ao combate ao coronavírus no município. A sessão em videoconferência contou com a participação da Dra. Francimeire Amorim, médica auditora da secretaria municipal de saúde. Inicialmente, Dra. Francimeire agradeceu o convite e apresentou um breve histórico da crise epidemiológica atual, demonstrando que desde o dia 26 de fevereiro, segundo ela; “iniciou-se a fase de contenção”. A doutora disse que na data em questão se confirmou o primeiro caso oficial da covid-19 no Brasil; “mesmo havendo um descrédito por conta de autoridades sanitárias governamentais e uma demora em compreender a gravidade da situação”, explicou ela.

De acordo com a auditora, orientada por protocolos da Secretaria Estadual, “a pasta municipal de saúde começou o processo de prevenção e combate ao contágio, com a criação de um núcleo gestor, que determinou como primeira ação a necessidade de rastear as possibilidades de entrada do vírus no município”. Dra.Francimeire explicou que; “o núcleo pesquisou a entrada de pessoas na cidade advindas de outras regiões do país e que podiam estar contaminadas. E todas passaram por um processo de acompanhamento”.

Na primeira quinzena de março, a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou estado de pandemia, possibilitando assim a ampliação das frentes de trabalho e prevenção em todo o estado, afirmou a auditora. Com isso foi possível, segundo ela; “agregar novas estratégias, retirando aquelas que já haviam sido superadas”. Durante esse processo de visita às residências dos possíveis contaminados, disse Francimeire; “a equipe da secretaria de saúde era formada pelo Dr.Omã e a enfermeira Luiziane da UPA”. Que realizaram os exames necessários nos prováveis pacientes.

Em sua explanação, Dra.Francimeire disse que o primeiro caso suspeito de coronavírus em Quixadá foi oficialmente identificado em 11 de março. Neste período, segundo ela, a orientação da secretária municipal de saúde, Juliana Câmara, era de; “nosso trabalho agora é dedicação total em enfrentar essa epidemia aqui na cidade, adotando as melhores medidas para conter os avanços do contágio, salvaguardando a vida de nossa população”.

Para Dra.Francimeire, as questões sociais e econômicas em torno do combate ao coronavírus precisam ser levadas em consideração, mas, neste instante, segundo ela; “mais importante do que qualquer interesse econômico, mais importante do que qualquer relação do ponto de vista pessoal e financeiro, é nesse momento salvar vidas, ajudar as pessoas e combater esse mal”, ponderou.

Ainda sobre a situação econômica que tem sido afetada pelo combate ao coronavírus em todo o mundo e respondendo a questionamento do vereador Iranildo Bacurim, Dra.Francimeire disse também que a visão do gestor municipal é a da compreensão de que o emprego sempre será um determinante do desenvolvimento das cidades. E certamente os governos buscaram formas de minimizar os impactos da recessão econômica.

Segundo a servidora; “estamos vivendo uma situação atípica e inesperada que vem afetando e transformando as relações em todo o mundo, no Brasil inteiro e não somente em Quixadá e tudo por conta do combate a Covid-19”. Em interlocução com a vereadora Jesyca Severo, a convida explicou que a abertura gradual do comércio e dos serviços, segundo normas de segurança determinadas da Secretária Estadual de Saúde, será uma forma de diminuir as perdas do setor neste momento de crise mundial na saúde.

A auditora da secretaria de saúde explicou que; “mesmo diante da necessidade de mitigar o contágio da pandemia em Quixadá, todos os serviços essenciais de saúde pública estão em plena atividade”, tendo como única exceção os atendimentos odontológicos, por conta dos enormes riscos de contaminação em tal atividade; “abrindo brechas, logicamente, para os casos de urgência e emergências surgidos”, completou ela.

Durante sua fala, Dra.Francimeire fez uma enfática defesa do Sistema Único de Saúde (SUS), ao afirmar que; “ao contrário de um pensamento recorrente, tudo que tem sido feito para salvar vidas no Brasil é graças ao SUS. O SUS é um direito do cidadão. Longe do que todos dizem, o SUS é que está segurando o atendimento desta nação em meio à pandemia. E aqui em Quixadá atuamos de forma preventiva e todo nosso sistema está funcionando graças ao SUS”, afirmou.

Após o período de rastreamento, disse a auditora, iniciou-se a fase de suspensão e contenção no município, quando foi preciso contar o apoio de toda a população e de todo os setores da gestão municipal; “para fazer o que fosse possível no intuito de diminuir aglomerações e a contaminação de nossa gente”, apontou ela. E de acordo com os protocolos da segurança, foi necessário evitar ao máximo o movimento nas ruas e nos bairros.

Dra.Francimeire disse que todas as ações de segurança adotadas são oriundas de rígidos protocolos das secretárias de saúde e; “há técnicos, há especialistas, há um profundo direcionamento para o melhor da medicina, há normas a serem seguidas e respeitadas. E não é viável fazer achismos em um momento tão delicado como esse. E neste momento, nada vale mais do que a solidariedade a vida de nossa população”, sustentou ela.

Ao responder questionamentos do vereadores Luiz do Hospital e Marcelo Ventura sobre o uso de medicamentos no tratamento ao coronavírus em Quixadá, Dra.Francimeire esclareceu que os profissionais médicos, segundo seus conhecimentos, tem total liberdade para, de acordo com o diagnóstico colhido, passar quaisquer médicos que forem necessários para efetivar a cura dos pacientes. Mas, segundo ela, “é necessário que o médico informe ao paciente os medicamentos que são encontrados na rede pública de distribuição e aqueles que deveram ser adqueridos na rede privada”.

Todos os medicamentos usados no tratamento do coronavírus são aqueles aprovados pelo protocolo da secretaria estadual de saúde e orientados pelo ministério da saúde, informou a auditora. E tudo isso é feito com base em evidências científicas, analisando a eficácia de tais fármacos, principalmente perante os pacientes do grupo de risco que envolve hipertensos, diabéticos.

Na ocasião, o vereador Carlos Eduardo Dudu questionou sobre os investimentos feitos da pasta da saúde no combate a pandemia em Quixadá. Dra.Francimeire disse que a secretaria, logo que possível, espera apresentar na Câmara todas as planilhas de gastos e investimentos feitos nesse período. E que todos os vereadores e a população terão acesso as informações de modo claro e transparente. Como exemplo, a auditora demonstrou que está havendo um superdimensionamento dos insumos. Só em Quixadá, são 900 profissionais que precisam utilizar cerca de 2 máscaras cirúrgicas por dia, apontou ela.

Respondendo a questionamento do vereador José Evaristo sobre os horários dos transportes coletivos na cidade, a auditora explicou que quaisquer modificações no plano de isolamento proveniente do combate ao contágio somente vão ser aplicados de acordo com análise dos números diários de atendimento e internações, pois esses serão os fatores condicionantes para cada fase de ação.

Em nome da Dra.Francimeire, o vereador Denis Dutra agradeceu toda a dedicação e empenho dos profissionais da secretaria municipal de saúde por estarem na linha de frente no combate ao coronavírus em Quixadá. O vereador disse que em breve, o legislativo local estará aberto para recepcionar uma longa e detalhada prestação de contas, necessária para demonstrar à população tudo que tem sido feito para conter a pandemia. Após as considerações finais, encerrou-se a participação.

 

Final de página